11/05/2016

Ital elabora documento sobre o papel da embalagem na economia circular
Documento promove a identificação e divulgação da função da embalagem na cadeia de produção de bens de consumo não duráveis

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea), do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) redigiu um capítulo que analisa a importância da embalagem no contexto da sustentabilidade. O conteúdo foi elaborado para fomentar a transição dos modelos de negócios, de utilização de recursos naturais e geração de resíduos do linear para a circular.

A publicação integra o documento “Embalagem e Sustentabilidade: Desafios e orientações no contexto da Economia Circular”, produzido pela Associação Brasileira de Embalagem (Abre) e pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) com o objetivo de apoiar o atendimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), bem como colaborar com a discussão do papel da embalagem na economia circular.

É o primeiro projeto decorrente da assinatura do termo de cooperação Técnico-científica entre os dois órgãos, que conta com o apoio do Ital para identificar as boas práticas ambientais para projetos de embalagens de bens não duráveis e duráveis.

 De acordo com o pesquisador da Secretaria, que atua no Ital, Thiago Urtado Karaski, a publicação fortalece a implementação da PNRS, prioriza os conceitos para evitar a geração de resíduos, reuso e revalorização, alinha a cooperação entre as diferentes esferas do poder público, o setor empresarial e demais segmentos da sociedade para a transição para um modelo de de valorização e uso de recursos, buscando a redução de perdas e desperdícios. “O resíduo sólido reutilizável e reciclável pode se transformar em um bem econômico e de valor social”, explicou o pesquisador. 

Além disso, o documento apoia o atendimento à Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a cooperação técnico-científica irá promover o esforço conjunto na realização de pesquisas e levantamentos, elaboração e publicação de documentos conjuntos; organização de seminários, workshops e encontros com participação de especialistas, acerca das boas práticas ambientais para o projeto de embalagens de bens de consumo não duráveis.

O secretário Arnaldo Jardim destacou que em São Paulo, o Governo de Geraldo Alckmin tem colocado em execução os acordos setoriais e termos de compromissos, a publicação da Resolução SMA nº 45, de 23 de junho de 2015 amparada na Política Paulista de Resíduos Sólidos, definindo as diretrizes para o aprimoramento, implementação e operacionalização da responsabilidade pós-consumo no Estado em harmonia com a logística reversa prevista na lei nacional.

“Na Secretaria de Agricultura e Abastecimento temos por orientação do Governador, analisado a concepção de normas para o aperfeiçoamento da destinação de embalagens dos defensivos e insumos, assim como os afins de uso fitossanitário em área agrícola no Estado de São Paulo”, destacou Arnaldo Jardim.

 A versão digital do documento poderá ser acessada pelo link:  http://www.abre.org.br/wpcontent/uploads/2012/08/embalagem_sustentabilidade.pdf