03/03/2016

Tecnologia para fomento da produção de amendoim para produção de alimentos é desenvolvido pelo Ital

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), vem realizando um trabalho de pesquisas para o fomento da produção de amendoins para a indústria alimentícia, além de promover a capacitação de produtores rurais que buscam desenvolver produtos à base do cereal como recheios, cremes, barras de cereais contendo amendoim entre outras variedades. 

O Estado de São Paulo representa 80% da produção nacional  de amendoins. Trata-se de um cultivo fundamental para a agricultura familiar, servindo como fonte de renda para pequenos e médios produtores rurais. Atualmente no Brasil, o amendoim destina-se principalmente à venda e consumo in natura, matéria-prima para indústria de alimentos, fabricação de óleo e exportação. 

Além da extração e obtenção do óleo, o amendoim também  pode ser transformado em outros produtos como doces diversos, paçoca, pé-de-moleque, cremes, recheios para bolos e chocolate, entre outros. “Na produção destes alimentos, o amendoim é o principal ingrediente da composição, dando sabor ao produto, além de agregar valor nutricional por serem alimentos nutritivos e balanceados, ricos em proteínas e possuírem altos teores de minerais, vitaminas e substâncias antioxidantes.”, explicou o pesquisador da Secretaria, e diretor do Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates (Cereal Chocotec), mantido pelo Ital, Valdecir Luccas. 

Dependendo de a produção ser artesanal ou industrial, a tecnologia desenvolvida pelo Ital empregada envolve etapas como limpeza, descascamento, torração, trituração e moagem. “Para cuidar do tipo e da qualidade do amendoim utilizado na produção, sobretudo com relação à presença de aflatoxinas, é necessário utilizar temperaturas adequadas de processo, bem como escolher o tipo e material correto da embalagem para evitar alterações na fração lipídica do amendoim e, conseqüentemente, alterações de sabor e perda da qualidade nutricional durante o armazenamento dos produtos”, explicou Luccas. 

O Secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, destacou que o Ital dispõe de instalações para produção em escala-piloto e laboratórios analíticos para o desenvolvimento e caracterização química, física e microbiológica de produtos à base de amendoim, além de um centro especializado no desenvolvimento de embalagem para estes produtos. “A transferência de conhecimento e capacitação fazem parte das diretrizes estabelecidas pelo governador Geraldo Alckmin para a nossa Secretaria, por meio os seus institutos de pesquisas para desenvolver o setor agrícola e garantir a saudabilidade dos alimentos presentes da mesa da sociedade”, disse.