26/03/2015

Manual de Industrialização dos Suínos
Obra completa aponta técnicas, equipamentos e padrões para processadores de carne suína

Foi lançado no dia 25 de março, na sede da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, o primeiro Manual de Industrialização dos Suínos, desenvolvido pela ABCS (Associação Brasileira dos Criadores de Suínos) em parceria com o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) , vinculado à APTA/SAA.

A publicação é um marco para o setor, pois reúne conhecimentos técnicos e econômicos para tornar viável que micros, pequenos e médios processadores adotem procedimentos modernos de abate, desossa e processamento, adequados às demandas atuais do mercado consumidor.

“Com esta parceria da Secretaria com o setor da suinocultura, atendemos a diretriz do Governador Alckmin, de aproximar o conhecimento (ITAL) e atividades de defesa (CDA) ao setor produtivo. Ganha com isso o produtor rural, a agroindústria, São Paulo e o País que melhorando a performance da suinocultura, garante emprego e renda”, afirmou o secretário Arnaldo Jardim.

A obra, que também contou com o apoio do Sebrae nacional e FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e Embrapa conta com 442 páginas divididas em 17 capítulos e 8 anexos que abrangem todas as fases do processamento da carne suína, como preparação dos animais, tipificação de carcaça, equipamentos, controle de qualidade, gestão do frigorífico, lista de fornecedores, entre outros.

“Grande parte do mercado brasileiro é atendido por micros e pequenos frigoríficos que poderiam aprimorar suas técnicas, mas não tinham referências completas até agora. Com o Manual de Industrialização, mostramos o caminho para estes frigoríficos atenderem o consumidor atual e, consequentemente, estimulamos o consumo de carne suína”, comenta o presidente da ABCS, Marcelo Lopes.

Atualmente, a grande indústria de abate e processamento de suínos está direcionada, principalmente, para a produção de embutidos. Deste modo, os pequenos e médios frigoríficos voltam-se aos cortes suínos. Muitas vezes, usam técnicas já superadas e acabam por apresentar produtos que não atraem o consumidor moderno, que busca praticidade, qualidade e saudabilidade.

O Manual de Industrialização de Suínos vem ao encontro dos anseios do setor e dos objetivos da ABCS, que por meio do PNDS (Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura), visa ampliar o consumo de carne suína utilizando-se de estratégias como: derrubar antigos preconceitos, adequar o produto às preferências dos consumidores e divulgar as qualidades da carne suína.

O pesquisador do CTC (Centro de Tecnologia de Carnes) do ITAL, Manuel Pinto Neto, conduziu a coordenação técnica do livro, que conta com os melhores especialistas brasileiros no tema.  “O Manual disponibiliza conhecimentos técnicos e econômicos para a implantação ou adequação de unidades empresariais desde preparação, transporte e recepção dos animais até seu abate, desossa e processamento”, enumera.

A solenidade de lançamento da publicação ainda fez uma homenagem póstuma ao pesquisador do ITAL Expedito Tadeu Facco Silveira, falecido em outubro de 2013. Funcionário da instituição desde 1997, Expedito foi um dos idealizadores e primeiro coordenador do Manual. O diretor ITAL, Luis Madi, destacou o ineditismo da publicação e sua conformidade com as prioridades do governo paulista. “A elaboração do Manual de Industrialização dos Suínos disponibiliza de forma inédita informações técnicas para o setor, em especial para as micro e pequenas empresas, em consonância com as prioridades da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo”, comentou.

Texto com informações da ABCS.