28/02/2013

Segurança alimentar deve ser reforçada no Brasil por meio de parceria Empresa Agilent, Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e grupo da Unicamp trabalharão em conjunto para mapear contaminação em alimentos
Empresa, Instituto e Universidade firmaram uma parceria para estudar a presença de químicos tóxicos em alimentos como chás, azeites e arroz

de Globo Rural On-line

 

A Agilent Technologies, empresa mundial de medição analítica, o Grupo GEAtom, do Instituto de Química da Unicamp e o ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos, vão unir forças em busca de metodologias que garantam a segurança alimentar e o controle de qualidade dos alimentos.

O projeto será desenvolvido em três etapas e deve durar até o final deste ano, podendo ser prorrogado de acordo com as necessidades das instituições envolvidas.

Será investigada também a migração de metais das embalagens plásticas para os alimentos. Os focos serão o arsênio, cádmio, crômio, chumbo e mercúrio, elementos altamente nocivos e comumente encontrados em recipientes plásticos coloridos. A fração desses contaminantes que pode ser absorvida pelo organismo também será tema de pesquisas.

Tecnologia

“Para o sucesso destes estudos, são necessárias técnicas analíticas suficientemente sensíveis e seletivas”, informa o pesquisador Marcelo Morgano. Pela parceria, a Agilent fornece o sistema completo de análise, que inclui os equipamentos ICP MS Agilent 7700 x e o LC Agilent 1260, adequados também para otimizar o espaço reduzido de laboratórios.

“O Sistema Agilent 7700 x possui detector que permite ao pesquisador, num único método, determinar concentrações muito diminutas (níveis de partes por trilhão, isto é 0,000000001 %), a altos níveis de concentração de cerca de 1%”, explica Fabio Silva, cientista do Programa de Segurança Alimentar da empresa no Brasil, do qual faz parte o acordo com o ITAL.

Programa de Segurança Alimentar

O químico André Santos, responsável pelo Programa no país, ressalta a importância da iniciativa no caminho de aperfeiçoar os produtos alimentícios e torná-los mais saudáveis. “Esta pesquisa irá resultar em novas aplicações que poderão ser utilizadas por outros laboratórios ou indústrias, melhorando a qualidade dos alimentos que consumimos”, diz.

Além da parceria, o Programa de Segurança Alimentar da Agilent tem um acordo de colaboração com o Laboratório de Pesquisas da Universidade de Santa Maria (RS) para identificação e quantificação de contaminação por pesticidas em alimentos.

http://revistagloborural.globo.com