03/12/2012

Castanha de caju é a oleaginosa mais light, diz o Inmetro. Veja o ranking!
CCQA participa do teste do Inmetro sobre teor de gordura em oleaginosas

De Globo.com: Nos mercados, pelo menos, a temporada já é da castanha do Pará, das avelãs, macadâmias e nozes. Por isso, o Inmetro decidiu fazer um teste importante com as frutas oleaginosas. 

“A gente chama de oleaginosas, grãos e sementes que têm um teor de óleo acima de 30%, 35%”, explica a engenheira de alimentos e pesquisadora do Instituto de Tecnologia de Alimentos, Ana Rauen. 

Amêndoa, amendoim, avelã, castanha de caju, do Pará, sem falar nas macadâmias e nas nozes, que não só fazem sucesso nas festas de fim de ano, como fazem um bem danado. 

“Elas trazem diversos benefícios para a saúde. Entre eles o controle da glândula tireóide, o bom funcionamento dela. Um enorme efeito protetor para o coração, melhora na pressão arterial”, enumera a nutricionista funcional Patricia Augstroze . 

“Ajudam a evitar o envelhecimento precoce”, cita Rauen. 

Mas será que engorda? O Inmetro fez o teste e descobriu que a diferença de gordura entre as oleaginosas pode variar em até 45% e a mais light de todas, sabe qual é? A castanha de caju. 

Light, mas nem tanto. Em cem gramas de castanha do caju, 48 são pura gordura. Depois vem o amendoim, a amêndoa, a avelã, as nozes, a castanha do Pará e por último, a macadâmia. A cada cem gramas, quase 70% são gordura e 623 calorias. 

Isso é um almoço. Para a nutricionista, “equivaleria a um prato bem grande de arroz, feijão, bife, batata frita e uma salada”. 

Mas os fãs da macadâmia não precisam se desesperar. Boa parte dessa gordura faz bem. 

“A macadâmia tem bastante gordura insaturada. As gorduras insaturadas são benéficas para o organismo porque reduzem o colesterol ruim sem reduzir o colesterol bom”, explica a técnica do Inmetro Juliana Caribé. 

No teste da gordura insaturada, o primeiro lugar ficou com as nozes. 

O Inmetro também mediu a quantidade de gordura saturada nas oleaginosas e essa sim é preocupante. 

“A gordura saturada é muito prejudicial para o coração porque pode aumentar o colesterol ruim e baixar o bom, isso faz com que a longo prazo o paciente sofra um risco eminente de sofrer um infarto, um AVC, algum tipo de doenças cardiovascular.”, aponta a nutricionista Patricia. 

A campeã nessa gordura que aumenta o colesterol ruim foi a castanha do Pará. 

“Ela ultrapassa os valores diários recomendados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, então é necessário consumir com moderação”, evidencia a técnica do Inmetro.. 

Para quem tem problema com o colesterol, as melhores opções são as amêndoas, as avelãs e as nozes. Só não pode exagerar. Um punhadinho por dia está de bom tamanho. 

“Outra coisa muito importante, que não sejam estas oleaginosas salgadas ou tostadas. Que elas sejam cruas e que a gente guarde na geladeira quando chegar em casa”, orienta a nutricionista. 

Assista o vídeo com a reportagem completa no link abaixo:

http://tinyurl.com/clqek3t